Um aviso aos desavisados:

Esse blog é descompromissado, pode ser que não tenha postagens sempre, mas a gente finge que é TODO DOMINGO.

E Capcom não me processa por usar tanto Mega Man.

Procure aqui:

sexta-feira, 16 de março de 2012

PolyStation

   Polystation é um dos clones mais famosos do Famicom (NES na américa, que retirou os videogames do crash de 1984). É um console de 8 bits gráficos que utiliza cartuchos de 60 pinos (Famicom), seus gráficos não são ruins, iguais do NES, há apenas uma pequena diferença que quase não da para perceber no som do aparelho.


   O exterior do aparelho copia o do PlayStation One, PS2 e PS3,os mais antigos copiam do PSX, feito de plástico bem fraco. O leitor de cartuchos fica no local onde ficaria o CD do PSOne. Os controles copiam os primeiros controles do PSX, só que sem os botões L1,L2,R1,R2. Também possui uma pistola de luz para jogos de tiro. Utiliza fonte de energia externa que varia de 4.5V, 6V, 7V,  9V... É ligado na TV por cabos AV ou por Radiofreqüência (nem todos possuem RF).


   Quem já abriu um Poly, viu seu “incrível hardware” (as três plaquinhas de circuito). O que faz o hardware ser tão pequeno deve-se ao fato dele utilizar o “NES-on-a-chip” (e vagabundagem dos pirateiros ching-lings) que contém todo o hardware do console original em um único chip, também há um chip no controle e mais um dentro do console além do NES-on-a-chip, que guarda os jogos internos(os que vem com o cartucho de games não tem esse outro chip).


   O console para chegar ao Brasil segue o seguinte caminho: é fabricado na china, importado para o Paraguai e de lá sacoleiros trazem para o Brasil, para vender em lojas de esquina ou em camelôs. No Brasil é vendido com preço que vai de 15 até 60 reais. Considerando seu hardware o Poly não é ilegal, pois a patente do hardware do Famicom da Nintendo já expirou faz tempo (esse ano expira a do Super Nintendo, sucessor do NES, será que vai ter Poly de 16 bits?), mas considerando a maneira de como ele entra no Brasil, considera-se contrabando de produtos (deixo claro que não incentivo a pirataria).

   O que mais irrita os compradores é o fato de pessoas confundirem com o PlayStation, estar escrito que vem 9.999.999 jogos mas vem uns 5 (fala sério, nem foram lançados 9.999.999 jogos para o NES) e sua caixa copiar a do Nintendo 64. Mas em compensação, alguém que não achou um NES ou Famicom para comprar, é uma boa opção, pois ele vem completo, com dois controles, pistola e jogos na memória, e da para jogar os jogos dos cartuchos originais (cartuchos NES americanos precisam de adaptador de 72 para 60 pinos).

Fontes: Imagens e conhecimento próprio.

Avaliação geral:

Prós:
1-Roda os cartuchos originais.
2-Vem completo, dois controles, pistola e jogos.
3-Qualidade de imagem ótima.

Contras:
1-Considerado ilegal no Brasil.
2-Frágil.
3-Copia geralmente a carcaça de outros consoles e a caixa do N64.