Um aviso aos desavisados:

Esse blog é descompromissado, pode ser que não tenha postagens sempre, mas se tiver algo é sempre no DOMINGO.

E Capcom não me processa por usar tanto Mega Man.

Procure aqui:

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Super Charger - um clone brasileiro não muito conhecido.

Esse post foi sugerido pelo blog Turbo Game, obrigado pela sua colaboração com o Polystation 8 Bits.
------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Super Charger, esse é mais um console da série "um clone brasileiro não muito conhecido" (pelo menos para mim).

O Super Charger é mais um clone de NES, mais precisamente do Famicom (o NES japonês) e é brasileiro, foi lançado em 1990 pela IBCT.

A qualidade do material do console é muito bom para um clone, seu visual é muito parecido com o Famicom verdadeiro, é até mais bonito que o original pois esse cinza e branco é muito melhor do que o vermelho e branco do Famicom.
Como era de se esperar para um clone de famicom, ele roda cartuchos de 60 pinos (padrão japonês).
Ele tem saída de vídeo e audio tanto RCA como RF.



 Bem, novamente o ponto ruim do console está nos controles (leia o post sobre o  Bit System), os controles são diferentes um do outro (número 1 e 2), só tem select e start no controle 1, os botões turbo do controle 2 ficam no meio do controle, além do fio sair da lateral do controle estes não possuem conectores para ligar no video-game, os fios do controle vão direto para dentro do console e os joysticks devem ser guardados no próprio aparelho.





   Fontes: conhecimento próprio e não faço ideia de quem  que são as imagens.

   Avaliação geral:

   Prós: visual bonito, roda cartuchos Famicom, tem boa qualidade de materiais.

   Contras: controle horrível na minha opinião (só não é pior que o do Bit System)