Um aviso aos desavisados:

Esse blog é descompromissado, pode ser que não tenha postagens sempre, mas se tiver algo é sempre no DOMINGO.

E Capcom não me processa por usar tanto Mega Man.

Procure aqui:

domingo, 30 de junho de 2013

NEStopia emulador de NES


      Um emulador alternativo ao VirtuaNES, pois este não emula jogos protegidos.

     Horas e horas passadas no quarto desvendando jogos e mais jogos do Nintendo Entertainment System (muito mais conhecido como NES) podem ser revividas com o Nestopia, um emulador para este que foi o mais popular console de sua época e certamente um dos mais contagiantes por muito tempo.

     E como relembrar os velhos tempos se aquele seu console empoeirado já não funciona mais? Simples, basta emular jogos do "Nintendinho" em seu computador e relembrar de clássicos como Super Mario World, Rock´n Roll Racing, Top Gear 2 e muitos outros.
Em muitos casos, a emulação do Nestopia consegue superar os títulos originais graças a filtros de imagem e som que melhoram o processamento original dos jogos. Além de contar com opções comuns em outros programas, o Nestopia oferece recursos únicos ou diferenciados. São exemplos a gravação de vídeos e de arquivos de áudio, configurar controles e dispositivos, jogar em rede, salvar jogos, tirar screenshots, emulação de vídeo NTSC, busca por cheats, etc.

     O Nestopia é compatível com os formatos ROM, UNIF, Ines e FDS. Este emulador não precisa de instalação, bastando executar o arquivo para curtir os clássicos de uma época que simplesmente não será repetida. Mas é claro que ela pode ser revivida de uma maneira diferente para matar as saudades.

     Também é interessante ressaltar que, apesar de completo e muito funcional, o Nestopia exige pouco ou quase nada do seu computador, podendo ser executado sem sobrecarregar seu processador.

Aviso importante

No Brasil, de acordo com a Lei de Programa de Computador nº 9.609/98, que diz respeito à proteção de direitos autorais, a única forma de uma ROM ser legal é quando a pessoa possui o jogo (comprado legalmente) e tem a ROM como cópia de segurança do jogo original.


Texto por: BaixaKi







Mega Man Wallpaper by Polystation 8 Bits

     Como prévia do review de hoje segue um wallpaper do Mega Man, feito pelo P8:

1366 x 768 ©MFP_Polystation 8 Bits.







quarta-feira, 26 de junho de 2013

Vídeo games 8-bit personalizados (parte 2-NES continuação)


    Continua aqui a série de casemods de consoles de mesa da era 8-bit bem personalizados.




     Se quiser conhecer o Polystation Black Version, a versão modificada do Polystation feita pelo blog, clique aqui.

     Observação: os nomes dos consoles são de seus respectivos criadores (ou não).

[...]

7) MegaNES II:


     Agora com mais uma versão do androide azulado (não verdinho do S.O.) Mega Man, com as cores do personagem e ainda com uma imagem dele em cima, o símbolo do blog. Aguardem que domingo (30/06/13) sai o review e download da primeira aventura do azulado.

8) Nemisake
     Direto do Japão (ou não) o Nemisake, com o "super complexo sol nascente" em vermelho e branco, neste há LEDs vermelhos que quando ligado o console fica "show".

9)BibaNES

     Este é o BibaNES, nem vou falar nada do nome. O.o

10) LEGO NES Case


     E é claro que não deve faltar um NES de LEGO.


11) Ferrari NES

   E aqui o Ferrari NES com a reflexiva cor símbolo da Ferrari.



12) The Legend of NES II


   Novamente um casemod do The Legend of Zelda, agora totalmente estilizado com efeitos de relevo, personagens, acrílico e LEDs.


[...]


Fontes:
Matéria própria e algumas imagens de Kotomi, da rede.

Continue acompanhando o blog e confira a continuação da série de casemods:




domingo, 23 de junho de 2013

Super Mario Land - Game Boy - Review

Cartucho SML GB.

     Hoje falaremos da terceira maior venda dos jogos da "Série Mario", Super Mario Land!



Definição

     Super Mario Land é um jogo eletrônico 2D no estilo de plataforma, desenvolvido e publicado pela Nintendo para o console portátil Game Boy. Foi lançado no Japão em abril de 1989, na América do Norte no mês de julho de 1989 e na Europa em setembro de 1990. Ele foi o primeiro jogo da “série Mario” nos portáteis e um dos títulos de lançamento do Game Boy. Também foi um dos primeiros títulos relançados no Virtual Console para o Nintendo 3DS.
     O jogo é baseado nos primeiros jogos da série, entretanto, não é uma sequência direta ou legítima de Super Mario Bros., mas sim Super Mario Land segue o titular Mario no seu desafio de resgatar a Princesa, mas dessa vez a senhorita Daisy (que bigodudo safado! Ela foi o primeiro problema de Mario antes da Peach, a ex). Também diferentemente, seu inimigo principal não é Bowser, mas sim um E.T. chamado Tatanga.

Bicho feio!

     Mario tem acesso a diversos power ups que o auxiliam em sua aventura, incluindo o Super Mushroom (Super Cogumelo), a Fire Flower (Flor de fogo) e o Starman (homem estrela, é a estrela de imortalidade), cada um dando-o habilidades óbvias. Enquanto viaja por quatro diferentes mundos com um total de 12 níveis, Mario deve passar por diferentes cenários, sendo na terra, no mar e no ar para que finalmente consiga resgatar a Princesa Daisy.


     As críticas foram, em geral, favoráveis ao título. Os elogios foram focados pela similaridade com o jogo com Super Mario Bros. devido sua jogabilidade. Graças ao jogo, as vendas iniciais do Game Boy foram impulsionadas e já foram vendidas mais de 18 milhões de cópias no total. O que o tornou o terceiro jogo da série Mario mais vendido de todos os tempos, sendo passado somente pelo Super Mario Bros. (NES)com 40 milhões de cópias vendidas e Super Mario World (SNES), com 20 milhões de unidades.
     A sua sequência, Super Mario Land 2: 6 Golden Coins, foi lançada em 2 de novembro de 1992 e uma outra continuação, Wario Land: Super Mario Land 3, foi lançada em 1994.

A jogabilidade

     Sendo o primeiro jogo da série Mario para os consoles portáteis, a jogabilidade de Super Mario Land é similar à de Super Mario Bros. apenas um pouco menos precisa, pois o jogo tem uma resolução menor do que o antecedente do NES e suas continuações.

     Apesar de Super Mario Land ter aspectos similares na jogabilidade com os jogos anteriores da série, o título apresenta algumas diferenças.

A história no jogo

     Bem, como em SuperMario Bros. e qualquer jogo dessa série, Super Mario Land tem seu enredo.

     A história do jogo se passa no mundo de Sarasaland onde existem 4 reinos conhecidos como: Birabuto, Muda, Easton e Chai. Um dia os céus de Sarasaland foram subitamente cobertos por uma nuvem negra com uma rachadura que de dentro surgiu um monstro espacial desconhecido (um ET feio e esquisito) chamado Tatanga que queria conquistar Sarasaland. Tatanga hipnotizou os habitantes de todos os reinos para que ele pudesse ter controle total sobre eles da maneira que ele quisesse e desta forma ele assumiu Sarasaland, com o objetivo de se casar com a Princesa Daisy e se tornar o rei do lugar.


     Sabendo disso (eles deviam ter internet, só pode), você já até imagina não é; Mario decide salvar a princesa e percebendo que ela estava mantida em cativeiro no reino de Chai, decidiu ir até lá. A fim de salvar a Princesa Daisy e restaurar a paz em Sarasaland, Mario fez seu caminho através de todos os 4 reinos derrotando os inimigos que se escondiam lá. A viagem foi difícil, pois foi a 1ª vez que Mario viu as criaturas de Sarasaland, porém ele finalmente conseguiu derrotar os 4 tenentes de Tatanga (King Totomesu, Dragonzamasu, Hiyohoi e Bionkinton) mas depois de derrotar Bionkinton, Mario teve que lutar contra Tatanga em sua nave fortemente armada, o Pagosu (é sério, cada nome estranho). Após uma dura batalha, Mario derrota Tatanga e resgata a Princesa Daisy e depois de levá-la para casa, Mario se afasta de Sarasaland e volta para sua terra. Porém, quando ele chegou lá, ele percebeu que o Sequestro da Princesa Daisy foi apenas uma distração para que Wario aproveitasse a ausência de Mario e roubasse seu castelo (sério, essa parte é mal contada, Wario que trouxe o ET?).


5555555 (só os sábios entendem esses números)

     É claro que apenas sendo um viciadão ótimo jogador como o do vídeo abaixo que você vai conseguir completar a história, pois o game tem um moderado nível de complexidade.

     Aproveite o vídeo e conheça a jogabilidade e os mundos de SML:



Conspirações em torno de Super Mario Land

Sarasaland:


Observe a imagem e o texto abaixo.

     Ruínas macróbias e águas tempestuosas ilustram a jornada portátil de um Mario em preto, branco e tons de cinza pelas nada paradisíacas terras de Sarasaland em Super Mario Land. Qualquer um que tomar o jogo em mãos terá certeza de que, apesar de ainda ambientado no Universo do Cogumelo, é baseado em localizações do Mundo Real. O que poucos sabem é que a maioria destas localizações têm planos de fundo conspiratórios, com influência de eventos extraterrestres. Birabuto remete à tese proposta por Eric Von Daniken de que a Grande Pirâmide teria propriedades numéricas avançadas demais para a civilização terrestre. Muda, inspirado no mistério do Triângulo das Bermudas, reflete as explicações sobrenaturais dos desaparecimentos de navios e aviões atribuídos a O.V.N.I.s — um conceito usado em Contatos Imediatos de Terceiro Grau, de Steven Spielberg. A conexão das Ilhas de Páscoa com alienígenas sustentada por algumas teorias deu origem a Easton Kingdom. Quanto à China, que inspirou a criação do reino de Chai, era conhecida antigamente como o reino celestial localizado entre o céu e a terra. Só faltava um reino baseado em Varginha, Minas Gerais! (Reino do Cogumelo, clique e acesse)



Avaliação geral:

    Prós: boa jobabilidade se considerado o fato da portabilidade; desafiador.

    Contras: Jogo curto (ou não); para mim foge um pouco do estilo Mario, não foi citado mas não foi Miyamoto o criador do game, talvez seja isso.


Fontes: Polystation 8 Bits, Wikipédia, Reino do Cogumelo e o dono do vídeo.


Download do jogo:

     IMPORTANTE: DE ACORDO COM A LEI Nº 9.609/98, A ROM É LEGAL APENAS QUANDO UMA PESSOA POSSUI O CARTUCHO DO GAME ORIGINAL E QUER UTILIZÁ-LA COMO UM BACKUP.


Download Super Mario Land (Game Boy) ROM + emulador

Simplesmente um resumão.



Download do jogo:

     IMPORTANTE: DE ACORDO COM A LEI Nº 9.609/98, A ROM É LEGAL APENAS QUANDO UMA PESSOA POSSUI O CARTUCHO DO GAME ORIGINAL E QUER UTILIZÁ-LA COMO UM BACKUP.

    




Você precisa de um emulador para rodar o game, recomendo o Visual Boy Advance:



DOWNLOAD EMULADOR



©MFP - P8

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Emulador de Game Boy: Visual Boy Advance 1.8.0 beta 3


     Trago aqui um emulador de Game Boy, o mais famoso portátil da era 8-Bit, conheça mais sobre ele clicando aqui. Ele ainda emula também Game Boy Color e Game Boy Advance.

     Possui ótimos gráficos e aceita códigos de game shark. Os jogos rodam com a velocidade e som iguais aos do Gameboy.

     A compatibilidade dele com a maioria dos jogos é excelente, rodando praticamente todas as ROMs disponíveis. Apesar do fabricante não ter fornecido os requerimentos, você não deve ter maiores problemas com a configuração. A nossa sugestão é que você utilize um processador de mais ou menos 500 MHz porque o Gameboy Advance é uma máquina de 32-bit, requerendo mais poder de processamento para ser emulado.



     Botões na configuração padrão:





  • Botão A - Z.
  • Botão B - X.
  • Botão L - A.
  • Botão R - S.
  • Movimento - Setas.
  • Start - Enter.
  • Select - Backspace.
  • Menu - ESC.



  •      Aviso Importante

         No Brasil, de acordo com a Lei de Programa de Computador nº 9.609/98, que diz respeito à proteção de direitos autorais, a única forma de uma ROM ser legal é quando a pessoa possui o jogo (comprado legalmente) e utiliza a ROM no computador como Backup do jogo original.




    • Para Windows XP/98/2000/Vista/7/8
    • 1,88 MB
    • Servidor Media Fire

    quarta-feira, 19 de junho de 2013

    Vídeo games 8-bit personalizados (parte 1-NES)

        Começa aqui a série de casemods de consoles de mesa da era 8-bit bem personalizados, finalmente vou publicar essa matéria que fiz ainda parcialmente em 2011 quando o P8 não existia e que foi postado em nosso parceiro Turbo Game.

         Se quiser conhecer o Polystation Black Version, a versão modificada do Polystation feita pelo blog, clique aqui.

         Observação: os nomes dos consoles são de seus respectivos criadores.


    Começando pelo NES:

    1) MegaNES


       Começando por aquele que é o símbolo do nosso blog, o Mega Man, apresentando o MegaNES, com as cores do famoso personagem.


    2)Super Mario Bros. 3 NES



       E aqui inspirado no considerado por muitos o melhor jogo já criado, um NES do Super Mario Brothers 3, estampado na carcaça o mapa do 5° Mundo do jogo. 



    3)The Legend of NES



       Este inspirado no famoso jogo protagonizado pelo Link, The Legend of Zelda, mais simples que os anteriores com a famosa TriForce na parte de cima e uma maleta especial para o console.



    4) Punch Out NES



       Inspirado no desproporcional e engraçado Punch Out, apresentamos o Punch Out NES, com um momento do jogo retratado em sua parte superior.



    5)KillNES



       Como sugere o nome, aqui está o KillNES, que bem contrastado com o amarelo e o preto está marcas e "rajadas" de sangue O.O              Relatos dizem que o sangue era do seu criador, lol.



    6)Kirby NES 


       Inspirado no esfomeado Kirby, aqui está, todo em tons de rosa, o Kirby NES.


    Fontes:
    Matéria própria e imagens de Kotomi.

    Continue acompanhando o blog e confira a continuação da série de casemods:




    sexta-feira, 14 de junho de 2013

    Game Boy

    Gameboy logo.svg


    Primeira versão do Game Boy






         O Game Boy foi um console portátil da 4ª geração desenvolvido pela Nintendo desde 1986, tal descontinuado em 2005 em sua última versão, mas pretendo abordar aqui apenas a primeira versão.


         O desenvolvimento do portátil foi iniciado em 1986 por Gunpei Yokoi e a equipe R&D1 da Nintendo japonesa. O objetivo era combinar as características do Famicon com a portabilidade do Game & Watch, também produzido por Yokoi. O primeiro protótipo do console foi apresentado à diretoria da Nintendo em 1987, surpreendendo os empresários. Foi lançado em 1989, em três anos vendeu 32 milhões e teve sua primeira alteração estética e tecnológica após oito anos.
         O projeto foi anunciado e mostrado na feira E3 de 1987, porque a Nintendo queria entrar no mercado de portáteis. Com o grande sucesso do NES, a empresa tentou, mais uma vez, fazer sucesso com este console. Em 1988, já estava tudo pronto, e começava a ser vendido em Abril de 1989.
         O aparelho tinha que ser um console de jogos realmente portátil (cabia no bolso de qualquer camisa ou calça), simples (o processador principal tinha apenas 4,19 Mhz e o seu display era preto e branco), eficiente (as pilhas duravam até 20 horas ininterruptas), barato (foi lançado por algo equivalente a 100 dólares) e que levaria até aos jogadores, onde quer que estivessem, a diversão que até então só poderia ser experimentada no conforto dos seus lares ou em salões de jogos.
         O Game Boy foi lançado em Abril de 1989 com um display de cristal líquido monocromático de fundo verde, jogos em preto e branco, gráficos de 8-Bits e com a possibilidade de ser jogado por mais de uma pessoa, utilizando o Cabo Game Link. Já vinha de fábrica com o jogo Tetris e a sua produção durou entre 1989 e 1995.

    Fontes:
    |_|Conteúdos próprios


    Em breve será postado reviews de jogos do GB, além de reviews de suas outras versões.





    domingo, 2 de junho de 2013

    Reestruturação do blog

     
       Venho por aqui informar que o blog P8 vai passar por uma reestruturação, tanto visual, como de conteúdo, com o objetivo de gerar uma melhor visualização do conteúdo e corrigir problemas nas postagens. Assim, durante esse processo o blog poderá ficar com as postagens e o layout desorganizados, mas por boa razão.